Quais são os principais EPIs para indústrias? Aprenda aqui!

produtos-imc-resistenciasPowered by Rock Convert

Você sabia que o investimento em equipamentos de proteção individual (EPI) pode reduzir os gastos de sua empresa? EPIs para indústrias são utilizados para que os trabalhadores exerçam sua atividade com o mínimo de risco possível, oferecendo proteção contra queimaduras, choques elétricos, exposição a produtos químicos, ruídos elevados, poeira etc.

Para que o uso dos EPIs seja efetivo, a legislação trabalhista exige que a empresa fique responsável pela distribuição deles de acordo com a atividade exercida e realize os treinamentos necessários para utilizá-los e armazená-los de forma correta. 

Para ajudá-lo a entender melhor o funcionamento desses equipamentos, reunimos alguns dos principais tipos de EPIs. Confira, a seguir, 4 exemplos desses equipamentos de proteção individual. 

Protetores auriculares

Um grande problema encontrado nas indústrias é o ruído em excesso produzido pelo maquinário e pelos equipamentos de produção. Esses ruídos podem causar danos permanentes na audição do trabalhador, mesmo que de maneira lenta – chamamos de perda progressiva de audição.

Para evitar esses danos à saúde, é indicado o uso dos protetores auriculares, que têm a função de reduzir a intensidade do som que o ouvido recebe e, consequentemente, a perda de audição

Botas

As botas são responsáveis pela proteção dos pés contra queda de objetos pesados e cortantes, derramamento de produtos químicos, escorregões, perfuramento de solas por pregos ou cacos de vidro etc.

Para escolher o tipo de bota com a proteção necessária, deverão ser levados em conta o tipo de atividade e os riscos que ela gera para o trabalhador. Ou seja, não é necessária uma bota com proteção contra produtos químicos se a atividade não envolve esse risco, por exemplo. 

Capacetes

Arriscamos dizer que o capacete é um dos EPIs para indústrias mais conhecidos. Normalmente associamos esse equipamento à construção civil. Ele é feito de polietileno de alta densidade (um tipo de plástico) e responsável pela proteção do crânio, tanto do trabalhador quanto de visitantes, contra quedas de objetos, exposição ao sol, choques elétricos, entre outros. 

Luvas

A luva é um EPI fundamental para a proteção das mãos, dos pulsos e dos braços dos trabalhadores. Elas impedem que o trabalhador não entre em contato direto com produtos químicos e baixas ou altas temperaturas, evitam a ocorrência de cortes e perfurações, além de várias outras funções de proteção. São feitas de diversos tipos de materiais, como neoprene, PVC, látex etc. A escolha do tipo de luva correto depende dos riscos aos quais o trabalhador está exposto. 

Com base no que foi apresentado, vimos que o uso de EPIs é muito importante para assegurar a saúde e o bem-estar dos trabalhadores. Porém, o investimento necessário para implementar todas as normas de saúde e segurança do trabalho, as quais incluem os EPIs, muitas vezes, não representa um valor atrativo para as empresas, pois não gera lucro direto. No entanto, devemos levar em conta que esse investimento evita prejuízos a longo prazo.

Um acidente de trabalho pode paralisar as atividades de um setor temporariamente, gerar despesas com indenizações em processos trabalhistas e, até mesmo, ocasionar a perda de um colaborador. Ou seja, além da proteção física dos funcionários, indiretamente, o uso de EPIs para indústrias traz grandes benefícios financeiros.

Gostou deste artigo e quer ler mais conteúdos assim? Curta nossa página no Facebook para conhecer mais sobre este e outros temas ligados à indústria.

Gostou do texto?

Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *