O que analisar na manutenção de aquecedores?

produtos-imc-resistenciasPowered by Rock Convert

Os aquecedores são muito utilizados para aquecer os ambientes em dias de temperaturas amenas. Mas esses equipamentos podem causar acidentes graves se o proprietário não realizar a manutenção periódica, que é indispensável para o funcionamento correto e para a prevenção de riscos. Sendo assim, o uso de um aquecedor industrial exige cuidados especiais.

Aqui neste post você vai descobrir quando a manutenção de aquecedores deve ser realizada e outras questões essenciais relacionadas a esses equipamentos. Além do mais, vamos explicar o que deve ser analisado durante os reparos e fornecer detalhes sobre sensores de temperatura, ventoinhas, fusível térmico e testes de superaquecimento.

Gostaria de entender um pouco mais sobre o assunto? Então acompanhe a leitura!

Quando a manutenção de aquecedores deve ser realizada?

A manutenção preventiva em aquecedores precisa ser realizada a cada seis meses ou de acordo com as informações do fabricante. Esses equipamentos geram monóxido de carbono durante a queima, o que pode causar problemas com o tempo de uso. Se houver presença de fuligem escura ou cor amarelada na chama, é sinal de que o aquecedor de ar ou água precisa de revisão.

Essa é uma maneira de evitar perigos desnecessários em decorrência da utilização de um aquecedor portátil. A manutenção não exige que o equipamento seja deslocado para outro lugar, afinal pode ser realizado o procedimento no próprio local. O profissional especializado faz uma análise das peças para prevenir contra o desgaste do equipamento.

O que deve ser analisado durante a manutenção de aquecedores?

Para fazer a manutenção preventiva são necessárias as ferramentas adequadas, tais como chaves, panos, pincéis, manômetro e multímetro. Além disso, algumas etapas devem ser seguidas para que a limpeza do circuito eletrônico e do conjunto queimador seja eficaz. Observe abaixo o que precisa ser verificado durante a revisão dos aquecedores!

Analisar o sensor de temperatura de entrada e de saída

Os aquecedores podem ser utilizados com energia elétrica, gás liquefeito de petróleo (GLP) ou gás natural (GN). Existem alguns que são conhecidos como aquecedores de passagem, ativados apenas quando são acionados por uma torneira ou chuveiro, por exemplo. A água ou o ar passa pelo aquecedor e é automaticamente aquecido conforme os ajustes dos controles.

O técnico deve analisar os sensores de temperatura de entrada e saída para regular o aparelho para que ele seja eficiente. Em alguns aquecedores, há um sensor de monóxido que precisa ser reposicionado em caso de falhas ou desligamento. Quando o aquecedor aquece mais do que deveria, esse sensor de temperatura atua para que o equipamento esfrie.

Verificar o bom funcionamento das ventoinhas e do fusível térmico

O procedimento de manutenção requer uma revisão dos acessórios do aquecedor. As ventoinhas, os filtros e os queimadores deverão ser limpos para que funcionem corretamente. É indicado averiguar as regulagens internas, fiações, trocador de calor e todos os demais componentes, inclusive o fusível térmico que protege o dispositivo.

Esse fusível precisa ser trocado por outro em caso de acionamento ou falha. Ele funciona interrompendo a circulação da corrente para que ela não chegue até o aquecedor se o termostato não operar. O objetivo do mecanismo é evitar altas temperaturas que podem ocasionar incêndios nas instalações.

Mas eles reagem apenas quando há calor excessivo ou derretimento dos componentes. Já a ventoinha é um dispositivo de rotação que faz a ventilação e refrigeração dos mecanismos dos aquecedores. Portanto, elas têm que funcionar de maneira adequada para não ocorrer o superaquecimento dos aparelhos.

Executar um superaquecimento para testar o dispositivo de segurança

Na parte superior do aquecedor localiza-se um duto metálico de exaustão de cor prata que deve ser mantido em bom estado. Caso haja sinais de deterioração, amassamentos, furos ou corrosão aconselha-se a troca. A sua fixação ao terminal e ao aparelho por meio de abraçadeiras deve ser revisada. Outros elementos que conectam a fonte de energia e a água precisam ser conferidos para evitar prejuízos.

Alguns modelos contam com um termostato que desliga o aparelho se a temperatura se elevar demais para proteger os componentes. Por isso, é importante regular as temperatura do aquecedor conforme as necessidades do ambiente. A execução do superaquecimento é importante para verificar a atuação correta do dispositivo de segurança.

Averiguar se há obstrução do fluxostato

No decorrer do tempo várias sujeiras se acumulam no aquecedor, principalmente, as poeiras e resíduos. Isso compromete o funcionamento do aparelho e da ventoinha, interfere nos exaustores e dutos de entrada de ar e de saída de monóxido de carbono.

Os componentes são sensíveis e poderão parar repentinamente o equipamento se não estiverem desobstruídos. Faça também a desobstrução do fluxostato que geralmente monitora o fluxo de líquidos, vapores ou ar. A limpeza desses itens vai aumentar a vida útil do aquecedor e evitar dificuldades no seu funcionamento.

Conferir a existência de bloqueio do filtro de entrada de gás

Se a manutenção não for realizada periodicamente no aquecedor, ele vai emitir teores elevados de monóxido de carbono no ambiente. Esse gás é tóxico para animais e seres humanos, causa danos à saúde e pode escapar do aparelho de forma gradual e imperceptível.

A substância pode causar odores estranhos, ardor na garganta e nos olhos, mal estar e náusea. Todos esses indícios indicam que há algo errado com o equipamento que deve passar por revisão imediata. O profissional que faz a manutenção vai observar ainda se há bloqueio do filtro de entrada de gás e assegurar a integridade física dos usuários.

Avaliar o conjunto centelhador e o sensor de chama

Também é essencial verificar se houve o desgaste do conjunto centelhador ou do sensor de chama. Se houver defeito, o aquecedor não funcionará de forma ideal. O sensor precisa estar em perfeitas condições, visto que o dispositivo detecta o calor que surge na forma de chamas. Ele é primordial para evitar a ocorrência de incêndios que ameaçam a vida.

Observar as condições do conjunto queimador

Vale destacar que a manutenção não fica restrita somente à limpeza do aparelho. O procedimento visa à promoção de uma revisão geral de todas as peças, não importa qual seja o seu modelo, para saber se as suas condições de uso podem ser consideradas normais.

A queima e a exaustão dos gases precisam estar em pleno funcionamento. Desse modo, o técnico confere as condições do conjunto queimador, e se houver necessidade, faz a troca das peças desgastadas pelo tempo de uso. É necessário utilizar peças originais para ter garantia contra acidentes.

A resistência de aquecedores é importante para o seu funcionamento?

A resistência de qualidade é fundamental para o bom funcionamento de um aquecedor. Esse componente tem a função de transmitir o calor de forma precisa, uniforme e homogênea. Sem ele o aquecimento não acontece de acordo com o almejado. Existem vários modelos de resistências com diversas dimensões e especificações disponíveis no mercado.

Enfim, após ler este artigo você descobriu o que precisa analisar na manutenção de aquecedores. Utilize resistências elétricas que tenham excelente durabilidade, sejam eficazes para evitar o consumo excessivo de energia e fornecidas por um bom fornecedor. Afinal de contas, essa pequena peça faz muita diferença no funcionamento do aparelho.

Achou o tema interessante? Então acesse as 4 dicas de como escolher um aquecedor portátil de água!

Gostou do texto?

Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *