Conheça os 5 principais tipos de manutenção em uma indústria

produtos-imc-resistenciasPowered by Rock Convert

Apesar de parecer uma tarefa simples, é necessário entender o conceito e conhecer bem os diversos tipos de manutenção que devem ser aplicados dentro de uma indústria. Afinal, cada procedimento apresenta uma indicação específica e tem um momento certo para ser realizado, de modo a garantir que os ativos da empresa permaneçam em boas condições.

Neste artigo, você vai conhecer os principais tipos de manutenção mais comuns em uma indústria. Acompanhe a leitura e saiba todos os detalhes!

O que é a manutenção industrial?

A manutenção é o conjunto de procedimentos e técnicas que são implementados em maquinários, sistemas e equipamentos de uma indústria, com o intuito de garantir que eles continuem o seu pleno funcionamento, de maneira eficaz e plena. Essas intervenções para reparos devem ser realizadas com frequência.

Qual é a importância de fazer manutenção?

Com o passar do tempo e ao longo do seu uso contínuo, os equipamentos vão passando por desgastes e degradações, como corrosão, erosão, envelhecimento, contaminação e outros problemas.

A manutenção causa impacto direto na produtividade e na qualidade nos processos. Afinal, cada máquina tem um período de vida-útil estipulado. Após esse tempo, é normal que o aparelho comece a apresentar problemas de funcionamento. Muitos equipamentos passam a consumir mais energia e matéria-prima, ou simplesmente deixam de funcionar. Aí surge a importância da restauração para diminuir os desgastes e garantir o desempenho do equipamento mesmo em um nível apenas satisfatório.

Quando se trata de indústria de processos contínuos, a manutenção ganha ainda mais destaque, uma vez que qualquer problema no funcionamento pode acarretar a pausa das operações, que pode levar um bom tempo para se restabelecer e significaria prejuízos consideráveis para os negócios.

Quais são os objetivos da manutenção?

Cada tipo de manutenção apresenta uma proposta específica. No entanto, existem alguns objetivos comuns entre esses procedimentos:

garantir a disponibilidade e a qualidade dos equipamentos;

  • fazer a correção de problemas;
  • restabelecer a eficiência perdida;
  • propiciar o menor custo de produção;
  • garantir a integridade física das pessoas que trabalham com o equipamento.

Quais são os principais tipos de manutenção?

Conheça, a seguir, as principais modalidades de manutenção.

1. Manutenção corretiva

A manutenção corretiva é feita assim que os operários detectam alguma falha na operação ou no aparelho em si, como é o caso de desprendimento ou desgaste de peças em decorrência de corrosão ou erosão, por exemplo.

Trata-se de uma modalidade de manutenção de caráter reativo e imediato. Ou seja, o procedimento de reparação é realizado após a detecção de uma falha não prevista, com o objetivo claro de não comprometer a linha de produção.

Sendo assim, ela é realizada com o intuito de reparar um defeito no equipamento, substituir peças, corrigir falhas na cadeia operacional e fazer com que ele volte a funcionar como antes. Ela pode, ainda, ser fracionada em duas modalidades: manutenção corretiva urgente e programada.

Corretiva urgente

O conserto do equipamento é realizado de modo instantâneo e emergencial, ou seja, assim que o defeito é identificado, uma vez que a máquina não pode ficar parada por um longo período para não comprometer as demais cadeias da operação.

O risco aqui é que ela pode ser mais custosa do que a manutenção corretiva planejada, pois pode levar a despesas repentinas e não previstas anteriormente, uma vez que o técnico responsável trará um diagnóstico apenas no momento do reparo.

Corretiva programada 

Essa categoria de reparação corretiva é feito de maneira planejada. Isso significa que já existe uma data definida para a realização do conserto do equipamento que apresenta defeitos e falhas operacionais. Sendo assim, a máquina permanecerá parada enquanto o dia da manutenção não chega, o que pode levar bastante tempo. O lado negativo é o risco de diminuição do ritmo das atividades e perdas na qualidade da produção.

2. Manutenção preditiva

É o tipo de manutenção que analisa a situação e a qualidade do equipamento, por meios de supervisão centralizados ou de amostragem, com o claro intuito de identificar falhas e defeitos logo em seu estágio inicial de operação. Assim, evita-se o trabalho na manutenção preventiva e reduz-se os riscos de manutenção corretiva.

Esse procedimento costuma analisar as condições térmicas, a situação de óleos e lubrificantes, vibrações e ruídos etc. Caso exista alguma falha, ela é identificada logo no começo, e são criadas ações para corrigi-la. O trabalho e as despesas necessários com a manutenção preditiva costumam ser menores, se comparados com a corretiva.

3. Manutenção preventiva

Esse procedimento é feito no caso de o desgaste do equipamento ser um processo natural. Ela advém de um planejamento no intuito de evitar surpresas desagradáveis, como a quebra de uma máquina ou falhas no sistema. Geralmente, ela é indicada para equipamentos que trabalham de modo contínuo.

Essa manutenção pressupõe a análise de dados sobre o desempenho da máquina e as informações técnicas obtidas pelo fabricante, incluindo as suas recomendações de reparo. A partir desses elementos, a equipe responsável pela manutenção elabora um plano de ações no qual estipula datas específicas para a realização da intervenção.

4. Manutenção baseada no tempo (TBM)

Essa manutenção é feita de modo autônomo e consiste em uma intervenção básica que requer menos conhecimentos da equipe técnica. Ela consiste na verificação de alguns elementos, como estado de lubrificação das peças, inspeção visual, limpeza, risco de a peça se soltar etc. O objetivo é prevenir falhas e reduzir o risco de problemas pelo uso excessivo e contínuo do equipamento.

5. Manutenção detectiva

A manutenção detectiva, ou investigativa, é realizada por meio de inspeções e análises de uma equipe especialista que detecta falhas que poderiam ser imperceptíveis em análises tradicionais. Ela se assemelha à modalidade preditiva, mas contém detalhes diferentes.

De um modo geral, a manutenção detectiva pressupõe a análise de modo periódico com um cronograma que determina o intervalo de tempo específico. Ela é indicada para os departamentos que não fazem o uso contínuo e ininterrupto dos equipamentos, sendo voltada para setores mais centrais da indústria.

Conhecer os tipos de manutenção é importante para definir um plano de manutenção e acompanhar os seus indicadores. Nesse sentido, a tecnologia pode ser uma ferramenta muito útil para acompanhar a performance dos processos.

Conseguiu entender melhor sobre o assunto? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais para que mais pessoas conheçam a importância da manutenção nas indústrias!

Gostou do texto?

Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *