Confira 6 melhores dispositivos de proteção elétrica industrial

produtos-imc-resistenciasPowered by Rock Convert

Dispositivos de proteção elétrica industrial são fundamentais para manter a segurança do espaço e das pessoas que ali transitam ou prestam algum tipo de serviço. Esses dispositivos fazem parte de sistemas de proteção das instalações de uma planta industrial ou residencial e agem para evitar curto-circuito, choques elétricos e variações na rede.

Disjuntores e fusíveis, por exemplo, asseguram a integridade das pessoas em comércios, indústrias ou residências, além de preservarem o patrimônio de descargas elétricas. O uso da proteção elétrica industrial é fundamental para garantir também a conservação de maquinário e deve ser considerada em todos os projetos. Neste post, vamos destacar a importância dessa proteção e mostrar os principais dispositivos e como eles funcionam. Confira!

Qual a importância da proteção elétrica industrial?

A proteção elétrica industrial é importante para as indústrias modernas por evitar danos e prejuízos. Ocorrências relacionadas a descargas atmosféricas ou ao fornecimento de energia, como quedas, picos e falta de energia, são consideradas ameaçadoras para fabricantes, instalações e processos industriais. Isso porque os prejuízos que podem ser gerados por uma interrupção momentânea ou por um curto-circuito podem ser devastadores.

Nesse cenário, os sistemas de proteção industrial protegem máquinas e equipamentos e mantêm a produtividade. Eles garantem que uma falha de energia, por exemplo, mesmo que dure apenas alguns segundos, não cause danos sérios a equipamentos sensíveis, produtos e materiais, além de evitar a perda de tempo com reinicializações de máquinas, que podem ser bastante demoradas.

Quais são os principais dispositivos de proteção elétrica industrial?

O mercado oferece diversos modelos e tipos de dispositivos de proteção elétrica industrial. Cada um tem uma função e atua de forma diferente. Para escolher o melhor, é preciso avaliar as necessidades e demandas da sua empresa e conhecer todos os produtos disponíveis no mercado. Separamos os principais e vamos mostrar para que serve cada um deles.

1. DTM – Disjuntor Termomagnético

O disjuntor termomagnético é o dispositivo mais comum e bastante usado. Encontrado com facilidade em lojas especializadas, esse dispositivo de proteção e manobra tem a capacidade de se desarmar ao detectar a alta da temperatura no circuito, que pode indicar sobrecarga ou sobrecorrente.

Esse tipo de disjuntor é classificado conforme seu modelo de funcionamento, com tipologias e números de polos variados, que podem ser monofásicos, bifásicos ou trifásicos, ou, ainda, classificados quanto à corrente do curto-circuito, ou seja, separados entre disjuntor de curva B, C ou D.

2. DPS – Dispositivo de Proteção de Surtos

Os dispositivos de proteção de surtos (DPS) protegem as instalações e equipamentos eletroeletrônicos contra efeitos diretos ou indiretos de sobretensões. Esse tipo de fenômeno pode acontecer por meio de descargas atmosféricas causadas por tempestades.

Por isso, o dispositivo de proteção de surtos é bastante recomendado para ser usado em regiões com alta incidência de trovoadas. A obrigatoriedade de uso do DPS está determinada pela ABNT NBR 5410, e ele pode ser instalado entre equipamentos e tomadas ou no quadro geral de distribuição de energia, além de ser classificado em três classes:

  • a primeira: dispositivos para efeitos diretos das descargas atmosféricas;
  • a segunda: para resguardar equipamentos eletroeletrônicos contra as descargas atmosféricas;
  • a terceira: protege equipamentos que se encontram a mais de 30 metros.

3. DR – Diferencial Residual

O dispositivo diferencial residual (DR) realiza a proteção elétrica industrial, garantindo respaldo contra choques elétricos. Ele é capaz de captar correntes elétricas mínimas, algo que o disjuntor termomagnético não faz. Esse tipo de corrente, ao percorrer o corpo humano, pode gerar danos graves. 

O uso do DR é obrigatório em locais sujeitos ao contato direto com água, como cozinhas, banheiros e garagens. Circuitos que alimentam tomadas em áreas externas também precisam receber a instalação desse dispositivo. Nos ambientes internos, o uso do DR é necessário quando existe a alimentação de equipamento na área externa.

O diferencial residual pode ser instalado por equipamento (por ponto) ou distribuído em circuitos de grupos, conhecidos como módulos. Esse tipo de dispositivo se autodesliga quando acontece contato direto com qualquer condutor elétrico ou com superfícies que podem, eventualmente, apresentar falhas no isolamento.

4. Transformadores de instrumentação

Os dispositivos conhecidos como transformadores de instrumentação são aparelhos projetados especificamente para alimentar instrumentos elétricos de proteção, controle ou medição. Aqui, a grandeza medida é transformada para o uso em instrumentos de medição, entre outros. Existem dois tipos de transformadores para instrumentos: transformador potencial (TP) e transformador de corrente (TC).

5. IDR – Interruptores Diferenciais

O Interruptor de Diferencial Residual (IDR) é também um dispositivo para proteção elétrica, e seu uso é obrigatório, conforme a NBR 5410, nos quadros de distribuição. Nas indústrias, esse equipamento garante a segurança dos funcionários contra choques elétricos. O IDR controla a corrente de entrada e retorno da energia e desliga automaticamente ao identificar uma sobrecarga no circuito.

6. Fusíveis

Os fusíveis são ferramentas de segurança usadas em sistemas elétricos de casas, comércios e indústrias para proteger contra curtos-circuitos. Quando uma sobrecarga é identificada pelo dispositivo, acontece a queima desse interruptor, que deixa o circuito aberto, evitando a queima de aparelhos. Na indústria, os fusíveis servem para evitar danos a máquinas e equipamentos que, muitas vezes, custam caro para manutenção ou troca.

Quais os cuidados na hora de escolher o melhor dispositivo?

Para garantir a eficiência máxima desses dispositivos de proteção elétrica industrial que citamos acima, é preciso considerar alguns pontos e tomar determinados cuidados. O dimensionamento e a escolha mais adequada desses instrumentos são fundamentais para prevenir acidentes, como incêndio, queima de máquinas e equipamentos, choques e sobrecarga.

Um dos principais pontos de atenção é que esses dispositivos de proteção possuem normas e certificações que precisam ser levadas em consideração na hora de escolher e instalar o melhor produto. No Brasil, a norma técnica da ABNT NBR 5410 regulamenta os mecanismos para instalação em redes elétricas de baixa tensão, englobando vários tipos de edificações, inclusive as industriais.

Os dispositivos mais usados são disjuntores, fusíveis, DPS e DR. Na hora de escolher o melhor, avalie o tipo de equipamento a ser usado e o dimensionamento correto. Assim, é possível garantir mais segurança para sua indústria.

Portanto, existem diversos dispositivos de proteção elétrica industrial disponíveis no mercado, e eles são essenciais para manter a integridade física de funcionários, máquinas, equipamentos e da qualidade dos processos produtivos. Para escolher o melhor modelo, conheça o circuito a ser atendido, levante as demandas e busque pelo que melhor atenderá às necessidades da sua empresa.

Está procurando resistências elétricas? A IMC Resistências possui uma enorme variedade de produtos!

Gostou do texto?

Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *