4 melhores dicas para garantir o conforto térmico para suínos

produtos-imc-resistenciasPowered by Rock Convert

O bem-estar dos animais é uma das principais preocupações quando falamos em suinocultura, obviamente todo esse cuidado está atrelado as questões humanitárias relacionadas a criação dessa cultura, contudo esse não é o único viés. Quando falamos em animais é fundamental estarmos atentos ao conforto térmico para suínos e como isso influência na produtividade.

Diante desse cenário, os produtores encontram algumas dificuldades para orientar seu manejo, necessitando de novas alternativas que alcancem uma produção sustentável e dentro dos âmbitos humanitários, que hoje, são fiscalizados principalmente pelo consumidor e ainda garante a lucratividade do serviço.

Neste post, trataremos as quatro principais dicas para alcançar o conforto térmico para suínos. Continue a leitura e confira!

Qual a importância do controle térmico para a suinocultura?

São inúmeros os fatores externos que influenciam a produção de suínos, assim como em outras culturas. Neste tipo de produção existem cuidados essenciais que devem ser acompanhados desde o início, ou seja, do nascimento dos animais. O conforto térmico para suínos, atrelado aos cuidados sanitários, manejo, nutrição, genética e ambiência garantem a qualidade do produto.

Quando falamos em temperatura, é possível identificar que isso influencia em diversas áreas, por exemplo, quando os animais estão em um ambiente com a temperatura ideal para eles, o apetite tende a aumentar. Por outro lado, as altas temperaturas causam o estresse térmico.

Dessa forma, as novas tecnologias e equipamentos mais modernos são grandes aliados quando falamos no conforto térmico para suínos. É importante lembrar que qualquer método utilizado terá uma maior vida útil quando é realizado uma manutenção preventiva dos equipamentos.

Como garantir o conforto térmico na suinocultura?

Como mencionamos, a temperatura é apenas um dos fatores que garantem a qualidade na produção de suínos, contudo, para que esse item alcance os melhores resultados é importante estar atento a algumas dicas, veja as principais delas.

1. Conheça a temperatura ideal

No Brasil, as temperaturas costumam variar conforme a região, isso impossibilita que seja criado um padrão uniforme para todos os criadores de suínos, o que se pode referenciar é como alcançar a temperatura ideal para um maior conforto térmico para suínos.

O primeiro passo é identificar as fases da criação dos animais, pois na criação de suínos, existem diferentes necessidades conforme a fase que o animal está. Na chamada fase de creche os animais precisam de ambientes com temperaturas mais altas, se mantendo entre 20º C e 24º C.

De forma simplificada, a temperatura ideal não pode ultrapassar os 25º C, observando também as fêmeas, nesses casos, para elas, a situação altera, o ideal nesses casos são temperaturas de 16º C a 22º C. Nesse contexto, identificamos mais uma dificuldade para os produtores, devido à necessidade de diferentes temperaturas a estrutura de criação precisa ser separada para a adequação dessas temperaturas para os animais.

2. Utilize escamoteadores

Como mencionado, a variação de temperatura oscila conforme a etapa da criação, além disso, os leitões precisam de temperaturas mais altas para um conforto térmico adequado. Nesses casos é recomendado a utilização dos escamoteadores.

O escamoteador é uma espécie de estrutura em forma de casinha aquecida, que mantém a temperatura adequada a cada fase da criação, podendo ser regulada pelo produtor. Essa temperatura é gerada por uma lâmpada infravermelha ou por piso aquecido, fazendo com que o animal não necessite despender energia corporal para adequar a temperatura e alcançar o conforto térmico para suínos.

3. Invista em ventiladores

Investir em ventiladores de qualidade é fundamental para garantir a temperatura ideal, além do controle da umidade. Esses equipamentos garantirão um controle maior do clima nos criadouros, mesmo em variações muito altas na parte externa do ambiente, fatores como esses reduzem consideravelmente o estresse térmico.

Basicamente, os ventiladores têm por função trazer ar fresco e extrair a umidade do local. No entanto, é necessário avaliar a estrutura do local para então identificar o modelo mais adequado de ventilação, podendo ser:

  • ventilação natural: depende do calor dos animais para manter o aquecimento e de ventos secos para reduzir a umidade do local;
  • ventilação mecânica: esse tipo de ventilação depende da instalação de ventiladores de ar, exaustores de pressão negativa e ventiladores de circulação;
  • cortinas de evaporação: nesse sistema as cortinas são instaladas nas paredes, contudo elas não trabalham sozinhas, elas precisam ser instaladas e seu trabalho age em conjunto com os exaustores de pressão negativa.

4. Invista em nebulizadores

O cultivo da suinocultura possui alguns entraves. As doenças respiratórias são uma das principais causas de baixa produtividade e perda de produção, se tornando um fator de risco nas fazendas. Por esse motivo é necessário que os produtores estejam atentos a esse fator.

A nebulização do local é uma das alternativas que reduzem esses riscos. Essa técnica auxilia na redução da pressão, agindo diretamente nos micro-organismos responsáveis pela proliferação de bactérias. Em locais com equipamentos mais modernos esse procedimento pode ser realizado diretamente pelas tubulações, que geralmente são instaladas no teto, já nos locais que ainda não possuem essa estrutura, se pode realizar a nebulização por spray.

Quais as consequências de não cuidar a temperatura?

Como sabemos, a temperatura é um fator determinante na produção da suinocultura, negligenciar esse processo coloca em risco toda a criação e, consequentemente, a lucratividade do negócio. Quando a criação é exposta a um ambiente que as tiram do conforto térmico para suínos ocorrem modificações que alteram a fisiologia, ocasionando alterações na produtividade.

Essa alteração ocorre devido ao fato da redução no consumo de alimentos, nesses casos é possível auxiliar os animais com estratégias vinculadas a alimentação. Inserir rações com baixo teor de proteínas é uma das formas de reduzir a temperatura corporal dos animais.

Por outro lado, os leitões recém-nascidos podem sofrer com as baixas temperaturas no inverno, principalmente em áreas que o inverno é mais rigoroso, isso porque, ao nascer a quantidade de gordura armazenada no animal é extremamente baixa, reduzindo a força, por consequência reduzindo a ingestão de colostro, item principal da alimentação nos primeiros momentos de vida.

Esse colostro é a principal fonte de proteína e auxilia também na regulação da temperatura no corpo do animal. Como se pôde perceber, o conforto térmico para suínos é determinante para os resultados da produção da suinocultura.

Agora que você sabe o que é e qual a importância do conforto térmico para suínos, deixe seu comentário no post e nos conte sua experiência!

Gostou do texto?

Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *